Semáforo




Todo o são humano deveria tomar remédio, pois só a condição de ser humano já é a própria doença. Doente inconsequente, inconsciente com a carapuça da razão legitimando sua inquisição sobre os não sãos , considerando-se o esteio da normalidade é futuro, ordem e progresso. O luminar de toda a gente, bendito homem super, homem são, sadio, sábio e decente. A humanidade precisa de sua incrível razão todos os dias do ano para produzir lixo, derrubar mato, matar bicho; achar banal a desgraça, a doença, a miséria e a fome da massa. "Isso é o normal, seleção natural, doente é você que não compreende como é o mundo e toma remédio para esquecer seus fracassos e fraquezas."

O pecado original é ser humano e todos nós pagamos, a maçã era só um placebo. O ser que não se julga humano acha tudo um grande absurdo; a simbologia, os erros, as dores, as culpas, a farmacologia. As ciências que tratam da mente são para ele grandes besteiras, meras muletas que deixam de pé toda a incapacidade de quem não tem vontade. “Nada disso é desculpa, todo mundo sofre, superei meus problemas e tô aqui de boa. Minha cabeça é boa. Pura vitimização, isso daí é mimimi e falta de laço no lombo”. É sempre o mesmo combo de frases toscas do tal ser são, não é não? O são sai sozinho de sua fossa sem drama que é só uma poça sem lama. Do fundo do poço ele escala tipo Braddock ,nossa! ele é foda, não pede ajuda. Ensurdece, ou finge que não escuta a consciência que grita, urra é colocada no mute do controle remoto. Pausa suas agonias, diminui o volume de suas euforias e da play na tranquilizante monotonia de quem não tem sangue quente. Amarelo não é cor que se apresente. Não se considera um simples ser humano errático, errar é fraqueza, doença. Com ele não, ele é são, santo, super. Superficialmente racional e perfeito.

O normal , sadio , quase O Alienista de Machado, é sempre aceito no iate clube VIP dos sensatos. Bebe champagne , sorri e estufa o peito , às vezes ri e chega a dar gargalhadas do ser que é só um humano doente “Coitado, doido, desgraçado nunca será como a gente”. Mal sabe o são humano que, assim como o personagem de Machado, ele também está alienado. Equivocado. Entre ser super, são ou simples ser, está costurada a questão com agulhas de dúvida e linhas infinitas de interrogação. Os pontos não se ligam, não há coesão. Absurdo Camus, humanamente impossível saber a questão que não se resolve. Nunca teve solução, nem se cogita ou se formula. E não há fórmula para entender quem é insano e quem é são. Desumanizar o ser, talvez fosse essa a única solução.



Clonazepam, Diazepam, anos sem pó, dias sem pão, excesso de glúten .“tu tem? Uma Ritalina aí? A mina da farmácia disse que ia conseguir?” Yoga é melhor, veganismo e reiki xamânico Inca. “Vem cá, e o tal do Grabovoi?”. É coisa de número, sei lá ... prefiro mantra e meditar. “Quem sabe vamos no shopping gastar?” Não, prefira acreditar que sou feliz sem Credicard, larguei meu vício em Visa. Quero tudo ,mas não quero, não sei, não vou consegui. Parei de ficar em um quarto escuro ouvindo vozes que não sei de onde vem. Agora sei bem foi a tal da religião que me curou. Agradeço ao irmão Sérgio, não preciso mais de remédio, o dinheiro do cartão agora dou à igreja, crédito para o pastor e seu louvor. Aleluia senhor! O padre benzeu minha água, tirou minhas mágoas, o pastor tirou minha dor. O livro de autoajuda me ensinou, em menos de cem páginas, a ser um vencedor. Amarelo é o caramba, seja você seu próprio incentivador, o coaching me falou. Tudo isso é uma cilada, a vitória está dentro de você, amarelo é só uma cor e suicídio e depressão só servem para chamar a atenção. Psiquiatra é tudo maluco só ouvem os outros falar e falar, só por que estudaram querem tirar o dinheiro do paciente. Psicólogo a mesma coisa, tudo Freud , tudo infância e esquecem dos problemas do presente. Ficar falando não resolve nada, se conselho fosse bom ninguém dava, isso não é ciência. Ciência e remédio não prestam para nada. Bom é mesmo meu pastor, meu padre, meu coach, minha fé. Estou certo e estou errado, mas estou sempre certo. Contraditório? Que nada sou um humano são, super, sadio e posso tudo , tenho razão. Doente é você, simplório ser.

Agora não existe mais pânico, agora o homem é biônico, um ser eletrônico, trivial, padronizado, perfeito, virtual e cheio de virtudes. Sem dó e sem dor tomou conta do id do ego e do super também . Instale suas habilidades no insta, em um instante te seguem, se não seguem insiste, conquiste, quite sua cota da dívida transcendental que te diferencia do animal que sofre. Fogo na Babilônia, Amazônia, Pantanal, não se preocupe com isso, é longe e só morreu animal. Isso não é ser banal é ser focado em seu status social. Vai lá campeão, posta sua bosta, seu bosta, quem sabe alguém gosta, te segue e compartilha sua alegoria desastrosa. Vale tudo que seja concreto: vestir de terno cãozinho caramelo, goiabada de marmelo, meme do cantor Belo, Camaro amarelo, imagens positivas para que não haja suicídio dos fracos e não sãos, ao menos no setembro amarelo.

Nossa, coitado tão cheio de vida , quem iria imaginar! Agora na empresa quem vai ocupar o seu lugar? E a mulher com dois filhos pequenos como é que vão se virar ? Acho isso covardia e egoísmo, precisamos ajudar e conscientizar para que isso pare já! O setembro vai acabando.


Em outubro já esqueceram, agora a cor é rosa, o amarelo esmaece, ufa ! É menos sofrimento. Em october tudo é fest, o câncer dá para tratar e detectar com teste, chega de deprê, o inverno já se foi tem feriado para passear, dia das crianças para comemorar e injetar ânimo na economia, vender brinquedo a revelia, test drive para as compras de natal. Aliás outubro já é pré natal, novembro vai no embalo igual. Dezembro chegou, senhores obesos vestidos de vermelho, neve de isopor e tudo artificial desde a rena ou hohoho, passando pela solidariedade que aflora no natal. Ajude os fracos , os menos afortunados, os sem- teto. Salvem os pobres. Jesus e seu flagelo até parece setembro amarelo , viria a calhar um jesus amarelo de Gauguin, mas só o que se avista são papai noéis de shoppings chegando em vans.

Juntando os elos é fácil entender que com cinco ou seis retas não se faz nenhum castelo, talvez Gauguin fizesse uma cruz para pendurar seu amarelo jesus. Voltando aos elos, ligando as coisas fica fácil entender não precisa nem desenhar; é a culpa misturada com a gana que o ser, são e super não engana. Ganhar e fazer o bem, o ser humano são nessas datas tão fraternais apazigua o inferno dos outros com suas migalhas emocionais. Sempre sincero, sadio e sábio , um singelo trabalhador em prol do bem comum, a formiguinha que carrega as folhas da sanidade, enquanto a cigarra louca canta seu rock psicodélico. Ele quer mérito ao ajudar superficialmente o humano que não é são como os seus, eis a questão o ser que não que ser um simples ser ,mas um super possui uma grande doença ; seu remédio e essa falsa colaboração. Em setembro e dezembro recebe as doses da vacina que duram o ano inteiro. Ajudar de vez em quando é melhor do que nada, por isso ele pode jogar na cara o resto do ano .Humilhar, debochar e até chamar de louco desgraçado o reles ser ralé e insano. Ser um deus onisciente é seu intuito ,mesmo que não saiba de tudo tenta parecer agradável e justo. É superior em sua sanidade e não quer nada dos não sãos, somente sua submissão e servidão. Ora para haver tal relação é preciso distinção quem acredita no ser humano é louco quem acredita no poder é são. O que não concordar com o são é , obviamente, louco, pois pensa no ser e não em si e quem não pensa em si não ganha likes, fama , lives , grana , nuds, selfs, royalties ou qualquer tipo de venerável poder.



Quem é louco e quem é são? O humano vale alguma coisa ou é só ilusão ? Ser animal é melhor? Um gato ou talvez um cão? Acelero, acelero, acelero o verde dura bastante, o amarelo quase nada, paro no vermelho, mas na minha cabeça ainda é amarelo sigo na atenção, na tensão e confusão de ser humano.






O Selo Junte e surte é uma iniciativa do grupo fictício Literasurta. Leia, surte e quem sabe um dia , após juntar 60 selos, receba nossos brindes deprês. Kits de sobremesa, canecas, ventiladores ou alicates; não se sabe o que poderá ser. Então,meu jovem, não perca mais tempo!


* Um jornal popular custa em média dois reais, só serve para ampliar o desmatamento e absorver urina de cães. Doe alguns centavos, talvez até reais e ajude a manter nosso surte e ganhe.

12 visualizações0 comentário

BERTOLDO CULTURAL PROMOÇÃO DE EVENTOS LTDA.

CNPJ: 36.420.889/0001-03

Av. Farrapos, 331 - Porto Alegre, RS | 90220-004

E-mail: contato@bertoldocultural.com.br

Fone / Whatsapp: (51) 99341.1945

© 2021 por Bertoldo Cultural

  • YouTube - Bertoldo Cultural
  • Facebook - Bertoldo Cultural
  • Instagram - Bertoldo Cultural
  • LinkedIn - Bertoldo Cultural